Por aí,  Porto Alegre,  Rio Grande do Sul

Mariza Carpes e Túlio Pinto: duas exposições imperdíveis no MARGS

O MARGS, Museu de Arte do Rio Grande do Sul, é um lugar em que você pode ir de olhos fechados, seja quando for, que sempre haverá algo interessante para conhecer. No mínimo belo, para admirarmos. Nem que seja sua arquitetura, a começar pela fachada e pelas lindas esculturas de um casal logo acima da entrada. Há muito acontecendo por lá que vale a pena a visita, mas queria destacar duas exposições que mexeram muito comigo, emocionaram de alguma forma e me fizeram pensar sobre a vida – inclusive, em um segundo momento, quero escrever mais profundamente sobre cada impressão.

 

Digo de onde venho | M A R I Z A  C A R P E S

Saí da exposição da Mariza Carpes como se tivesse encontrado uma amiga, de alma. Digo de onde venho traz objetos que ela guardou, colecionou e produziu, como quadros, pinturas e enfeites, que contam sua história, que evoluiu no ateliê de costura da mãe, onde cresceu entre linha e agulha, tecido e bordado, alinhavo e pesponto. A trilha fica por conta do barulho da máquina de costura, incansável. Parecia que me enxergava ali, em meio a todos aqueles objetos guardados e costurados às memórias. Comecei a tecer, mentalmente, a minha história, a lembrar dos muitos objetos que guardo em casa e que só faltam falar. O visual da exposição é incrível, ocupa três salas do museu sob uma unidade visual, com as mesmas tonalidades. Impecável, imperdível. No MARGS até 15 de março.

 

Momentum | T Ú L I O  P I N T O

O artista levou a tensão ao extremo. Sua exposição é, no mínimo, angustiante, desconcertante, ao mesmo tempo que bela e que nos ensina sobre o equilíbrio, entre as partes em si, e sobre o coexistir, dos elementos totalmente diferentes. Achei que tem muito a ver com os tempos atuais. Parece que vivemos sempre na corda bamba, por um fio. Parece que as coisas vão desabar a qualquer momento, cair, arrebentar, furar, rasgar, explodir. Todo cuidado é pouco e delicadezas se fazem urgentes. No MARGS até 22 de março.

Grande, denso e pesado bloco de pedra descansa sobre o travesseiro de vidro fino e delicado.

 

Vigas de aço se aconchegam em bola de vidro.

 

Urgente é você ir lá e conferir de perto. O MARGS fica na Praça da Alfândega, no Centro Histórico de Porto Alegre, RS.

Fotos e texto de minha autoria, Juciéli Botton, para a Casa Baunilha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *