• Curitiba,  DECORAÇÃO,  Decorar,  Paraná,  Por aí

    Um café da manhã e uma curadoria de decoração surpreendente em Curitiba

    Esta história é daquelas que começa mal mas termina bem. Ou, para quem acredita, é daquelas que porque os personagens estavam na pior, algo bom veio na sequência. Ou, ainda, daquelas em que as coisas acontecem por algum motivo, no melhor estilo “era para ser”.

    Eu estava com meu marido em Curitiba e cedo da manhã iríamos embora da cidade. O plano era simplesmente entrar no carro e se mandar, sem mais nenhuma atividade por lá. Só que passamos por um perrengue tão infeliz na noite anterior, que acordamos no dia seguinte com o sentimento de: nós merecemos tomar um bom café da manhã num lugar legal. Não entrarei em detalhes, apenas direi que foi a única vez em que entrei em um supermercado e saí com dois litrões de Coca-Cola (pois não tomo refrigerante, muito menos Coca-Cola) para desentupir a privada do apartamento que alugamos. Que fique claro que foi ideia do proprietário.

  • DECORAÇÃO,  Decorar

    Capim-dos-pampas, o astro do Pinterest, pode ser encontrado em beira de estrada, de graça

    Há tempos notei que o capim-dos-pampas, aquela planta que lembra um espanador, voltou à moda na decoração, que o digam Pinterest e Instagram. E falei “voltou” porque lembro da minha tia Claudia, nos anos 1990, se embrenhando pelos matos na beira das estradas para arrancar a planta e colocar em vasos para decorar a sala. Tinha um vaso na casa da minha avó, grande, daqueles de chão, onde a tia colocava as “plumas”, como a planta também é conhecida.

    Na minha última passagem pela serra do Paraná, vi muito dessa planta na beira da estrada. Lembrei de registrar e postar, pois vai que nem todo mundo sabe que pode conseguir de graça? Não sei quanto está o galho hoje em dia, mas se está em alta visualmente, então o preço deve estar na mesma altura.

  • DECORAÇÃO,  Decorar,  Reformar

    Os outros programas gringos de decoração e reforma a que assisto – e seus problemas

    Na publicação anterior, contei quais eram os meus dois programas de reforma e decoração preferidos. É claro que não acompanho apenas dois, já que o mundo desse tipo de entretenimento é maior que o nosso próprio mundo. Então trago agora uma lista dos outros programas aos quais também gosto de assistir, mas que apresentam alguns aspectos que não me agradam, que chamei de problemas, e por isso não entraram para a lista dos meus programas de renovação de casas favoritos. Vamos a eles:

  • DECORAÇÃO,  Decorar,  sala / estar

    A importância do contraste na decoração

    É uma característica da minha casa estar sempre mudando e é algo que já entendi. Porque mudo. Na medida em que amadureço, as ideias que tinha sobre a vida e preferências já não governam mais a minha cabeça e dão lugar a outras. Somente a minha apresentação no blog eu já perdi as contas de quantas vezes reescrevi – fica na barra lateral para quem acessa em tela grande, ou lá no final para quem vê por celular, ou na parte SOBRE do menu. Não mudar é, no mínimo, duvidoso. Algo não vai bem.

    E se teve um canto da minha casa que se modificou muito, e por muitas vezes, foi o da TV. Tenho o rack que fiz no estilo faça você mesmo, suspenso e instalado acima da TV, o que liberou o móvel que fica abaixo dela. O décor deste móvel já mudou horrores. Embora sempre satisfeita com as mudanças, aquela sensação de que alguma coisa ainda faltava nunca me deixou. E o que faltava eram, exatamente, algumas noções sobre CONTRASTE.

  • DECORAÇÃO,  Decorar,  Reformar

    Os 2 programas gringos de decoração e reforma mais incríveis

    Programas sobre reforma e decoração são como praga, têm aos montes. Gringos, então, dominam a praça, em diversos tipos e formatos. Tem os que só reformam fachadas, outros só banheiros ou quintais, tem os dos irmãos gêmeos, tem o das casas pequenas, tem os das cidades do interior, os de desafios, como amar ou deixar a casa e tantos outros.

    Eu assisto a muitos deles, pois há uma grande parte que é boa. E quando considero boa quero dizer que podemos tirar algumas lições e aplicar nas nossas renovações em casa.

  • DECORAÇÃO,  Decorar,  jardim

    Recuperei minhas begônias murchas com a rega de emergência

    Senta que lá vem história. Uma história sobre mortos-vivos. Esqueça o cachorro, esqueça o gato, minha mãe tem uma Begônia Rex que é, sim, uma integrante da família. Tem mais de 35 anos. Ela teve uma filha, a begônia. Minha mãe disse para eu ficar com ela e, assim, as gerações de pessoas da família se entrelaçariam com as gerações da begônia.

    Só que é muita responsabilidade cuidar da Begônia Filha. Então comprei três begônias no supermercado – por que três? por que tanta ganância? porque elas eram lindas, uma vermelha, uma prata e uma malhada de verde e vinho – para treinar o trato com as begônias. E nas minhas pesquisas, todo cuidado era pouco para não molhar demais e apodrecer as raízes.

  • DECORAÇÃO,  Decorar,  jardim

    Zamioculca de vaso novo e outras plantas

    A coitada da zamioculca estava no vaso de plástico original já deformado pelas raízes que queriam se expandir, como mostrei num post anterior. Pois agora ela foi replantada em um vaso maior e mais refrescante, de cerâmica. E na sequência, pude notar melhoras no seu desenvolvimento.

    A planta ainda estava com os galhos todos muito unidos e pendendo para um lado. Até achei que a atendente da floricultura tinha plantado ela meio torta. Mas foi só dar um tempo para que os galhos começassem, um a um, a buscar seu caminho. Sei que gosta de meia sombra e pouca água. Na embalagem que envolvia a planta na loja, a orientação era regar duas vezes na semana. Mas, ainda assim, coloco pouca água e longe dos galhos para que não apodreçam. Rego mais perto das bordas do vaso. Assim, as raízes da planta darão conta de captar essa umidade conforme a conveniência.

  • DECORAÇÃO,  Decorar,  home office,  jardim

    Meus cactos brotaram!

     

    Eu sei que tem que molhar de vez em nunca, que adoram tomar sol, mas os cactos e as suculentas não vingam por muito tempo na minha casa. Trato a pão de ló e nada. Tenho a sensação de que eles todos eram mais felizes onde estavam: no ar condicionado e luz artificial do supermercado, ou sob a poluição sonora opressora da avenida em frente à casa dos meus avós na praia. Então resolvi fazer o caminho inverso. Em vez de tirá-los de seus lugares, resgatei das ruas e trouxe para o aconchego do lar.

    E deu super certo.

  • DECORAÇÃO,  Decorar,  jardim

    Abacateiro de apartamento

     

    Eu não faço de caso pensado. É totalmente instintivo terminar de comer o abacate e fazer brotar sua “sementinha”. Além disso, já parou pra pensar, enquanto pesa a fruta na balança do supermercado, que irá pagar bons dinheiros por algo que nem vai consumir? Mas longe de mim fazer da perda de alguns centavos de reais o foco deste texto. Sempre me indignei com tamanha semente ser descartada. Ela é tão volumosa que nem conseguimos chamar de semente. Caroço.

    Pobre semente.

    Então, decidi dar continuidade ao trabalho da natureza. Com quatro palitos de dente cravados nas quatro direções, equilibrei a semente sobre um vaso, preenchendo com água até que esta encostasse. Dali pra frente foi só assistir ao show da vida. Raízes se criaram e pequeninas folhas brotaram.

    Foi, foi que o projeto de abacateiro começou a espichar e ficar cada vez mais alto. A ponto de eu ter que deslocar o móvel da posição original para que o bebê não batesse nas prateleiras acima dele. Sabe como é, família em primeiro lugar. Depois, o layout da casa.

  • DECORAÇÃO,  Decorar,  home office

    Organizando cabos no home office

     

    Às vezes, contrariando os nossos esforços, temos de nos render a algumas exceções no que se refere à organização da casa. Quem diria que eu, no eterno exercício de eliminar o que não uso em busca de uma casa mais organizada e com menos objetos, tive de selecionar um a mais para ficar na mesa do home office só para guardar cabos. Para mim, cabos não merecem aparecer no nosso campo de visão. Eles enfeiam o visual, contribuem para a desordem, se enroscam em outros objetos. Cabos: socorro! Só que por mais que eu pense que eles deveriam ficar escondidos na gaveta, dependendo do cabo, se bastante usado, ele necessariamente precisa ficar sobre a mesa. Como o da máquina fotográfica e o do celular. Toda hora é hora de usar os tais cabos.