• antes e depois,  banheiro / lavabo,  DECORAÇÃO,  Decorar,  Reformar

    Antes e depois: meu banheiro reformado

    Meu banheiro, depois de anos de infiltração – somando os que eu aluguei o apê e mais alguns como proprietária – não pode escapar de uma reforma total. Eu sou muito a favor das obras limpas (conceito que estou aplicando na minha cozinha), que reaproveitam os materiais e quebram menos possível ou nada. Mas o meu querido aqui estava literalmente caindo aos pedaços, principalmente na parte do box. Os azulejos, estufados em ângulos de quase 45 graus, podiam cair a qualquer momento. E os dois ambientes que dividem as paredes com ele sofriam com as infiltrações e o mofo.

     

     

    Antes de qualquer coisa, preciso dizer que eu tinha uma ideia visual para o banheiro que acabou não acontecendo. Então ele ficou assim, como estamos vendo mas que, de qualquer forma, gostei do resultado também. Eu explico. Eu queria um banheiro super urbano, com cara de ambiente reaproveitado e com mix de texturas. Imaginem, no lugar dos azulejos verdes, textura de cimento queimado, bem manchado, tipo um viaduto mesmo. Era essa a minha ideia inicial: de um lado, porcelanato que imitasse pedra (pois verba para pedra de verdade não trabalhamos) e, do outro, na parte das louças e do espelho, a textura de cimento, bem manchado.

    Acontece que o pedreiro que contratamos não apareceu no dia combinado porque tinha pego uma outra obra. E depois disso, conforme eu falava com outros profissionais eles me desencorajavam ou diziam que pela umidade do banheiro não seria o ideal, ou eu mesma não levava fé que fariam direito. Algo que parece ser tão simples, um concreto aparente, sem a parte de assentar os azulejos. Bom, quem nunca teve que partir para o plano B ou até outras letras seguintes do alfabeto em se tratando de obra, não é mesmo? Eu comprei o material para a reforma em 2015

  • DECORAÇÃO,  Decorar,  Ideias mil,  quarto

    Antes e depois: guarda-roupa novo com troca de puxadores, apenas

    Eu até não me incomodei com a imitação da aparência de madeira no guarda-roupa que consegui por um preço bem em conta no mostruário da loja. Mas aqueles puxadores de plástico prateado eram um veneno para o meu humor matinal, que já não é um arco-íris brilhando a glitter. Antes mesmo de cogitar adquirir um guarda-roupa eu planejava: a primeira coisa que vou fazer é consumir com os puxadores de plástico. Depois eu monto o guarda-roupa.

    Na verdade, qualquer coisa no lugar dos puxadores originais ficaria melhor. Como adoro misturar elementos e também adoro ficar em dúvida sobre o que levar quando me deparo com muitas opções, escolhi 4 modelos de puxador, variando entre vidro, cerâmica e madeira.

    Dar tchau aos puxadores de plástico prateado teve um resultado tão bom que os novos puxadores até ajudam o laminado a se passar por madeira. O plástico deixava tudo ainda mais falso.

     

     

     

    Para trocar, não tem mistério. É só desaparafusar os puxadores originais e aparafusar os novos (me senti numa aula de conjugação de verbo agora).

  • DECORAÇÃO,  Decorar,  Ideias mil,  Por aí,  Rio de Janeiro

    Alguma coisa acontece com as luminárias dos bares do Rio

    Foto de Shoptime

     

    Uma pesquisa realizada por mim com aproximadamente 20 estabelecimentos concluiu que 99,9% dos bares do Rio de Janeiro são iluminados com as cúpulas chamadas “escadinha”.

    A minha pesquisa falhou em não fotografar os participantes da amostra, o que já está na minha lista para uma próxima ida ao Rio.

    Tá, pra não dizer que não tirei uma foto sequer, aqui tem uma de um restaurante na Lapa, em que as cúpulas escadinha são usadas de acordo com a decoração do ambiente. O restaurante tem esse estilo destroyed e vejam acima do bar a grande placa de textura enferrujada. Essa mesma textura se repete nos acabamentos dos pendentes das luminárias. O teto arrebatou meu coração com a madeira reutilizada, de réguas desencontradas e respeitando a cor antiga. 

  • DECORAÇÃO,  Decorar,  Ideias mil

    Quando tomar chá faz bem pra decoração

    Quando li esta frase do Goethe pensei que ela tinha tudo a ver com o momento de começar o dia. Sabe, como um lembrete de que a gente pode tentar fazer aquele novo dia ser agradável. E tudo a ver, também, com a hora de dormir, aquele momento em que não reviver as emoções – perrengues – do dia é um verdadeiro desafio, e pensar em coisas boas e desacelerar parece apenas um sonho distante.

    Dessa forma, decidi que a frase deveria ficar no meu criado mudo. Então peguei a tesoura, cortei a tag do barbante do saquinho de chá e coloquei a frase em um mini porta-retrato que eu tinha. Não entendeu a relação do chá com a frase? É que ela estava impressa na tag do saquinho de chá. E foi a partir daí que eu comecei a colecionar esses cartõezinhos, com frases de inspiração e também ilustrações fofas. E de coleção ela passou para decoração. Espalhei os cartõezinhos por alguns cantos da casa, como o bar de chá e as mesinhas de cabeceira.

     

    Ali, no porta-retrato, a frase do Goethe que estava na primeira tag que veio até mim – destino? acaso? – e que despertou a vontade de colecionar estas pequenices. 

  • DECORAÇÃO,  Decorar,  Ideias mil,  jardim,  sala / estar

    5 maneiras de organizar um jardim no seu pequeno apê

    A gente já sabe que não é porque moramos em espaços reduzidos que não podemos ter nosso próprio jardim. Dá sim pra transformar um canto no nosso pequeno lar em um jardim particular. Não só dá, como há várias maneiras de organizar isso. Escolha a sua preferida, ou inspire-se para criar a sua própria.

     

    COLEÇÃO APAIXONANTE

    Foto: trib.al

    Se você tem paixão pelos pequenos exemplares da natureza, como as suculentas ou os pequenos cactos, pode dedicar um móvel a eles. Pode ser uma prateleira, um aparador, o que você tiver e o que seu espaço permitir. O que importa é deixar as plantas todas juntas e visíveis. A ideia não é fazer volume, mas expor a singularidade de cada uma.

  • DECORAÇÃO,  Decorar,  Ideias mil

    Desapegando da coleção de mini bebidas que não era minha

    Definitivamente, estou focada em reduzir o número de coisas dentro da minha casa, porque penso que o foco é outro na vida, são os momentos, as pessoas, as experiências – claro que ainda posso ter os itens úteis e preferidos por perto. Por isso, então, a quantidade de posts sobre desapego e organização que estão povoando este blog.

     

    desapego-casa-baunilha1

     

    Um dos meus últimos desapegos foi a coleção de mini garrafinhas que era do meu pai. Pois é, não era nem minha. Me afeiçoei a ela porque era dele. Mas tento entender, durante esse processo de desapego, que outros motivos nebulosos faziam eu permanecer com ela. Sim, porque a nossa mente não é um cristal transparente, ela é nebulosa. A gente mantêm coisas em casa simplesmente por manter, mas o que é que acontece na real?

    Vou tentar elencar aqui

  • DECORAÇÃO,  Decorar,  Ideias mil,  sala / estar

    7 sofás e suas almofadas – e por que tê-las?

    É verdade, elas não são obrigatórias. No meu sofá, por exemplo, eu não tenho almofadas. Ainda. Isso porque desde que ele chegou, e já faz tempo, eu não parei pra pensar nas almofadas. Tem que ter química, não adianta. Elas precisam parecer que nasceram pra ele.

     

    a-beautiful-mess3

     

    E não é só uma questão estética. A adição de camadas num ambiente torna ele aconchegante. Acrescentar mais tramas e tecidos, além de cores, enriquece a experiência visual e tátil no espaço. Seu sofá pode ser o mais macio da face da Terra, mas se visualizar almofadas lindas sobre ele, é como enxergar um abraço de mãe te esperando.

    E vale lembrar que vale tudo. Eu sou suspeita porque adoro frequentar lojas de tecido, mas dá pra escolher as próprias estampas e, se você não costura, mandar fazer as capas. Enchimentos nós podemos encontrar

  • DECORAÇÃO,  Decorar,  Ideias mil,  quarto

    Quarto de criança nem rosa, nem azul

    casa baunilha quarto infantil 6

     

    A restrição do universo de uma criança a uma (01) cor sempre me perturbou, como rosa para meninas e azul para os guris. Qual é a plausível justificativa que se tem para limitar as cores do universo infantil? Ah, a sociedade de consumo… Você não vai encontrar uma bicicleta infantil no mercado que seja feita para seus dois filhos. Se você tiver um menino e uma menina, terá de gastar comprando duas bikes, uma azul para ele e uma rosa para ela, o que, se você for pensar, não ajuda na hora da lição de aprender a dividir. O mundo é colorido, gente. Nós, depois de adultos, é que resolvemos gostar do cinza, do preto, do branco, de cores neutras. Criança, além de gostar do colorido, precisa de todos esses estímulos visuais riquíssimos que são as cores.

    Pois bem. Folheando revistas online encontrei, na Minty Magazine, um quartinho

  • DECORAÇÃO,  Decorar,  home office,  Ideias mil

    Em busca da escrivaninha perfeita

    Meu apê tá passando por transformações. Na verdade, no mundo de hoje, o que não tá, neh gente? Mas mais recentemente troquei quartos de lugar. O quartinho da bagunça virou o meu quarto mesmo, pra dormir, e o que era de dormir virou o da bagunça. Só que nessa brincadeira, a casa inteira virou uma zona. Sabe quando vem gente de loja entregar na sua casa e dá vontade de dizer “nós mudamos recentemente, sabe como é…” quando na verdade tu já mora ali há 7 anos? Tô nesse estágio.

    Maaaas, como toda boa repaginada, o negócio é fazer tudo devagarinho. Então agora estou concentrada no espaço do home office/ escritório / cantinho do computador, que ficará no atual quarto da bagunça. E a peça principal dessa história é a escrivaninha, a mesa.

     

    escrivaninha wearescout

    Foto: We are scout

     

    Fã de móveis antigos que sou, pensei em começar uma busca por algo assim, como na foto, bem enxuto, pequeno, com linhas delicadas. A prioridade é ocupar menos espaço possível e agregar história, porque os objetos que ficarão por ali são modernos, como computador, luminária e outras coisas. Então uma mesa vintage vai

  • DECORAÇÃO,  Decorar,  Ideias mil

    1 quadro, muitas histórias

    Adoro colecionar coisas, claro que na medida do possível, porque meu apê é pequeno, então não posso me dar ao luxo de colecionar bicicletas, por exemplo (tirando o fator grana pra fazer essa brincadeira, ok?).

    Então, se você também é do time que coleciona miudezas em larga escala, confere esta ideia pra reunir e expor a sua preciosa coleção, ou melhor, a sua preciosa coleção de histórias vividas. Que, na real, é isso que as coleções representam pra nós.

    Em caixinhas com a frente envidraçada, você vai jogando ali as peças e, com o tempo, vai vendo a coleção crescer. Quadrinhos e até alguns porta-retratos cumprem muito bem esse papel. E, no fim, a coleção acaba virando um quadro bonito na sua parede.

     

    historias de casa

    A colorida coleção de caixinhas de fósforo é da Histórias de Casa