• antes e depois,  banheiro / lavabo,  DECORAÇÃO,  Decorar,  Reformar

    Antes e depois: meu banheiro reformado

    Meu banheiro, depois de anos de infiltração – somando os que eu aluguei o apê e mais alguns como proprietária – não pode escapar de uma reforma total. Eu sou muito a favor das obras limpas (conceito que estou aplicando na minha cozinha), que reaproveitam os materiais e quebram menos possível ou nada. Mas o meu querido aqui estava literalmente caindo aos pedaços, principalmente na parte do box. Os azulejos, estufados em ângulos de quase 45 graus, podiam cair a qualquer momento. E os dois ambientes que dividem as paredes com ele sofriam com as infiltrações e o mofo.

     

     

    Antes de qualquer coisa, preciso dizer que eu tinha uma ideia visual para o banheiro que acabou não acontecendo. Então ele ficou assim, como estamos vendo mas que, de qualquer forma, gostei do resultado também. Eu explico. Eu queria um banheiro super urbano, com cara de ambiente reaproveitado e com mix de texturas. Imaginem, no lugar dos azulejos verdes, textura de cimento queimado, bem manchado, tipo um viaduto mesmo. Era essa a minha ideia inicial: de um lado, porcelanato que imitasse pedra (pois verba para pedra de verdade não trabalhamos) e, do outro, na parte das louças e do espelho, a textura de cimento, bem manchado.

    Acontece que o pedreiro que contratamos não apareceu no dia combinado porque tinha pego uma outra obra. E depois disso, conforme eu falava com outros profissionais eles me desencorajavam ou diziam que pela umidade do banheiro não seria o ideal, ou eu mesma não levava fé que fariam direito. Algo que parece ser tão simples, um concreto aparente, sem a parte de assentar os azulejos. Bom, quem nunca teve que partir para o plano B ou até outras letras seguintes do alfabeto em se tratando de obra, não é mesmo? Eu comprei o material para a reforma em 2015

  • DECORAÇÃO,  DIY

    DIY: 4 ideias que vão salvar o seu Natal

     

    Os convidados, a família e os amigos estão quase chegando e você ainda nem lembrou que o Natal está aí? Calma, vou te salvar com 4 ideias que vão da guirlanda da porta de entrada da sua casa, passando pelos pacotes de presente, subindo o pinheirinho e terminando na sua mesa decorada para a ceia. O mais legal de tudo: cê vai gastar quase nada pra fazer isso tudo.

    Da esquerda para a direita, em sentido horário:

    Guirlanda: toda trabalhada nas folhas de verdade, é feita com um pedaço de arame e um ramo verde que você pega ali, na praça perto da sua casa – foi o que eu fiz. Clique aqui para o passo a passo.

    Pacotes para presente: feitos com papel kraft, tinta preta e tudo o que

  • DECORAÇÃO,  DIY

    DIY: laranja desidratada para um Natal tropical

     

    Realização de um sonho este pinheirinho enfeitado com fruta desidratada! Eu sempre quis experimentar. Adoro o visual de algumas frutas cítricas sequinhas, ficam bonitas até nas guirlandas e enfeitando pacotes de presente. Sem contar que deixam o visual mais leve. Eu vivo no Brasil, não é mesmo? E, pra mim, não faz sentido a decoração de Natal sufocante e calorenta que é típica de uma parte do mundo onde neva nesta época do ano – lembram que penduram até meia na lareira onde são colocados presentes? Meia! Então, meus enfeites de Natal geralmente não são vermelhos e não têm aqueles tecidos felpudos e outras texturas que possam deixar a minha casa mais calorenta do que ela já consegue ficar no verão. Me dá coceira só de pensar. Menos é mais até no Natal.

    Confesso que, por nunca ter me identificado muito com a decoração típica do Natal, eu não me entusiasmava em decorar a casa para a ocasião. Mas quando me dei conta de que eu poderia fazer qualquer coisa na minha casa e produzir eu mesma a decoração, do jeito que eu quisesse, comecei a ver esta época do ano como uma oportunidade de me divertir criando e experimentando. Afinal, é decoração. E a gente adora!

    Então, neste ano eu decidi que teria uma árvore enfeitada com fruta desidratada, e a laranja fica sensacional tanto na textura quanto na coloração. Pendurada no pinheirinho mesmo, com aquele fundo verde-natureza, o efeito é mais lindo ainda. Acho incrível a mescla da coloração clara com a escura, olha só:

     

     

    Na primeira vez em que tentei desidratar as fatias de laranja eu não tive muito sucesso e queimei a maioria. Na segunda tentativa eu consegui fatias mais desidratadas e menos queimadas. Isso pelo fato de eu não ter um forno industrial que oferece temperaturas mais amenas, como a de 50 graus, recomendada para fazer este tipo de efeito. Então, se você tem um fogão normal na sua cozinha, com temperatura mínima de 150 graus (veja só quanta diferença), se liga na tabela que eu fiz com o passo a passo do que não fazer e do que fazer para conseguir

  • antes e depois,  Espelho Meu,  Guarda-roupa,  Vida e Carreira

    Antes e depois: casaco oitentinha revisitado

     

    Os anos oitenta foram um período nonsense em termos de vestimenta. É só observar os botões que eram encapados com o mesmo tecido da roupa ou no mesmo tom. O que era isso? A época do combinandinho.

    O que eu quero com este post, além de dizer que adoro os anos 80, pois nasci no meio deles e usei muita coisa que hoje rende muitos apelidos, é reforçar a ideia de que basta uma modificaçãozinha numa roupa pra gente voltar a gostar dela novamente. Isso implica em menos compra, o que joga menos poluentes na natureza (a indústria da moda é a segunda que mais polui, vejam clicando aqui), o que faz você economizar o seu suado dinheirinho, o que faz você vestir um casaco com cara vintage mas com um visual atualizado, o que não te deixa com jeito de esforçado para parecer algo pois ele parece seu desde sempre. E tudo isso faz de você uma pessoa super cool. Adoro roupa vintage, adoro brechó, adoro não parecer um cabide de loja.

    Para transformar o casaco, eu me inspirei nos trench coats que muito circulam por aí em cores “begesadas” e com aqueles botões pretos graúdos. Os botões pretos graúdos foram os responsáveis por ressuscitar o casaco

  • DECORAÇÃO,  Decorar,  Ideias mil

    Quando tomar chá faz bem pra decoração

    Quando li esta frase do Goethe pensei que ela tinha tudo a ver com o momento de começar o dia. Sabe, como um lembrete de que a gente pode tentar fazer aquele novo dia ser agradável. E tudo a ver, também, com a hora de dormir, aquele momento em que não reviver as emoções – perrengues – do dia é um verdadeiro desafio, e pensar em coisas boas e desacelerar parece apenas um sonho distante.

    Dessa forma, decidi que a frase deveria ficar no meu criado mudo. Então peguei a tesoura, cortei a tag do barbante do saquinho de chá e coloquei a frase em um mini porta-retrato que eu tinha. Não entendeu a relação do chá com a frase? É que ela estava impressa na tag do saquinho de chá. E foi a partir daí que eu comecei a colecionar esses cartõezinhos, com frases de inspiração e também ilustrações fofas. E de coleção ela passou para decoração. Espalhei os cartõezinhos por alguns cantos da casa, como o bar de chá e as mesinhas de cabeceira.

     

    Ali, no porta-retrato, a frase do Goethe que estava na primeira tag que veio até mim – destino? acaso? – e que despertou a vontade de colecionar estas pequenices. 

  • Por aí,  Rio de Janeiro

    Feira do Rio Antigo ou Feira do Lavradio – Um desejo realizado

    Eu pesquisei muito sobre o Rio de Janeiro antes de conhecê-lo. Principalmente em se tratando de decoração, usados, antiquários, feiras ao ar livre, onde eu pudesse encontrar souvenirs interessantes e também… gente, muvuca. A Feira do Lavradio, também carinhosamente chamada de Feira do Rio Antigo, se tornou uma experiência pra se viver na minha lista de coisas do que fazer no Rio. E parecia que era pra ser mesmo, porque a feira acontece no primeiro sábado do mês, e eis que eu estava lá no primeiro sábado de maio.

     

     

    Superou tudo que eu tinha imaginado. A feira é tudo o que uma feira tem que ser, e é ainda melhor. Movimentada mas não a ponto de você não conseguir se locomover. Produtos maravilhosos, tanto da parte de artesanato – produtos novos – quanto dos itens de brechó e antiquário. Aliás, a Rua do Lavradio é uma rua de antiquários. Eles se misturam às barracas da feira. Estas, uma charme só, todas iguais, com um toldo em padrão estampado de listras vermelhas e brancas. Adorei. Mas continuando sobre o que a feira tem de bom, eu ainda destacaria as pessoas. Gente interessante e alegre. Deve ser por causa da música que fica tocando. A feira tem trilha, então todo mundo fica envolvido no clima de corpo e espírito. Samba, música brasileira. Imagina começar o sábado assim.

    Deixo aqui alguns dos meus registros sobre esse item que eu tive o enorme prazer em riscar da minha lista.

  • Morro Reuter,  Por aí,  Rio Grande do Sul,  Serra Gaúcha

    Alles Antiquário em Morro Reuter | RS

     

    Uma das coisas que eu adoro na serra gaúcha são os antiquários de beira de estrada. Não tem emoção que se iguale a de estar passando e, de repente, ver surgir um antiquário – pelo menos pra quem adora velharia e decoração como eu.

    Só que mais interessante do que os móveis e os objetos em si é a composição deles no espaço, em como eles estão arranjados em conjunto. O que é um prato cheio pra quem adora fotografar.

    O último antiquário que encontrei foi o Alles, que fica em Morro Reuter. E pelo que vi

  • DECORAÇÃO,  DIY

    DIY: Um mapa-múndi pra chamar de seu

     

    Todo mundo tem lugares especiais que ficam guardados no coração. Pode ser a sua casa, seu quarto, o destino das últimas férias, a cidade onde nasceu ou algum lugar exótico do outro lado do mundo. Por isso, eu e a minha amiga Sophia Catalogne, do blog Meu Mapa-Múndi (o blog de viagem do meu ♥) nos unimos pra fazer este quadro fofo de corações “mapeados”, que traduz o amor por viajar e por quatro lugares por onde ela já andou e guardou no coração e que, cá pra nós, não sei como ela conseguiu escolher só quatro. Ela, uma pessoa que já esteve em tudo quanto é canto deste mundo. Eu tirei o chapéu, mas depois coloquei de volta, claro, pra compor o look pra foto (desculpa, gente, não resisti). Fiquei toda boba com as boas vindas luminosas que ela preparou pra Casa Baunilha.

     

     

    Já sabe quais são os lugares do seu coração? Então vem com a gente. Os materiais que usamos foram:

  • antes e depois,  DECORAÇÃO

    Antes e depois: Fruteira metaleira dos sonhos

     

    Ano passado, enquanto entregava minhas doações em um centro de arrecadação e distribuição, vi uma das partes de uma fruteira, daquelas que ficam suspensas, atirada em um canto. Mas era visível seu potencial. Estava inteira, todas as hastes firmes e ainda soldadas. Não pensei duas vezes. Quando perguntei quanto os guris do centro queriam por ela, me deram de presente, já que eu estava sempre ali fazendo doações. Minha reação foi tipo: feliz que nem pinto no lixo.

    Cheguei em casa sapateando, querendo restaurar e ter logo minha

  • DECORAÇÃO,  DIY

    3 mesas decoradas para o Natal com apenas o que eu tinha em casa

    A minha casa não costuma ser a anfitriã da ceia de Natal da minha família. Sempre nos juntamos numa casa maior pra caber todos, claro. Ou seja, dá pra concluir que não possuo um grande aparelho de jantar ou louças em grande quantidade para servir comida a um batalhão. Mesmo assim, fiquei pensando como poderia criar uma mesa decorada para a ceia de Natal apenas com a louça que tenho em casa, além dos elementos naturais que encontrei na rua. Afinal, fica muito mais bonito e rico misturar as peças.

    O resultado não foi uma, mas três decorações de mesa para uma ceia sem muitas afetações. No stress, abra seu armário e divirta-se.

     

    MESA NATURAL

    Natureza põe mesa. Um jogo americano de trama grossa e louça inspirada no design das folhas + pinhas e cascas secas deram o clima de floresta, além dos variados tons de verde. Flores naturais são sempre bem vindas.

    casabaunilha-ceia-de-natal3