Dois Irmãos,  Morro Reuter,  Por aí,  Rio Grande do Sul,  Santa Maria do Herval,  Serra Gaúcha

Bate-volta serra gaúcha #2: buffet Schuh, Balneário Amizade e mais

 

Este bate-volta eu fiz no final de 2018, em um sábado, e faço questão de compartilhar na série Bate-Volta Serra Gaúcha para mostrar como é possível fazer um bocado de coisas em um dia, em cidades próximas, claro. Neste caso: Morro Reuter, Santa Maria do Herval, rota da VRS 873 e Dois Irmãos. Alguns lugares eu já conhecia, outros eu acabei descobrindo e para onde possivelmente voltarei para aproveitar mais. O roteiro geralmente começa com algum lugar já conhecido, como a Feira do Produtor Rural, e no restante do tempo andamos pelas ruas e cidades desconhecidas, descobrindo novos destinos.

 

Feira pela manhã – Morro Reuter

A primeira parada do dia é na Feira do Produtor Rural de Morro Reuter. Compro roscas de polvilho, algumas verduras e outros produtos orgânicos. Eu falo mais sobre a feira no post dos 16 motivos para conhecer a cidade.

A praça central. Gosto de passar por ela depois que saio da feira porque sempre tem alguma coisa nova. A cidade está sempre buscando melhorar.

 

Almoço no Schuh – Santa Maria do Herval

Saímos de Morro Reuter e seguimos para Santa Maria do Herval, onde tem um restaurante que serve uma comida que adoramos.

Gostamos bastante do almoço do Restaurante Schuh. Antes ele ficava no salão anexo da Igreja Nossa Senhora da Matriz e agora passou para um espaço só dele, atrás da igreja. Estacionar em frente à construção histórica, quando não está muito calor, pode ser uma opção. Caso contrário, é melhor procurar uma sombra.

 

Molho de frango com arroz branco, saladinhas, batata-frita que eu adoro, meio cozida, meio murcha e salada de batata maravilhosa. Aquele prato de fim de semana, entendeu? De segunda a sábado, o buffet livre é R$17,00 e o quilo R$29,00. Aos domingos, servem o Mini Espeto (espeto corrido) a R$25,00.

 

Casa em estilo enxaimel.

 

A tranquilidade reinante pelas ruas da cidade.

 

Bancos e carrocinhas à beira do rio que corre ao lado da Estrada Boa Vista ou VRS 873. Ótimo lugar para conversar na companhia de um chimarrão.

 

Balneário Amizade – Santa Maria do Herval

Há vários balneários em Santa Maria do Herval e, passeando um pouco pela região, descobrimos o Balneário Amizade, um lugar para fazermos churrasco à beira do riacho. O pessoal da administração nos deixou olhar a área. Há muitas opções de espaços com churrasqueira e alguma estrutura, como mesas, cadeiras e até cobertura. É R$25,00 o aluguel da churrasqueira e aconselho ligar para se informar melhor como funciona mas, que eu me lembre, as bebidas devem ser compradas localmente.

Todas as churrasqueiras são numeradas. Este é um banco feito com roda de carroça, próximo a uma delas.

 

Os quiosques cobertos apresentam uma certa privacidade com as árvores ao redor.

 

O córrego passa logo ali atrás.

 

Este espaço eu adorei, pois tem estrutura coberta e uma vista ampla do riacho.

 

Esta churrasqueira já não tem a estrutura coberta, mas, ainda assim, com vista para o rio.

 

Este quiosque já é bem maior, com mais mesas disponíveis.

 

Tem até cachoeira e uma roda d’água.

Para ver mais dicas de passeios por Santa Maria do Herval, é só clicar aqui.

 

Alles Antiquário – Morro Reuter

Voltando de Santa Maria do Herval pela VRS 873, eu gosto de parar no antiquário Alles para conferir o que tem por ali. Neste dia, tinham reunido os vidros todos em uma mesa.

A vista dali é incrível.

 

Galeria de arte Flávio Scholles – Morro Reuter

Saindo do antiquário e continuando pela VRS 873, em direção à BR 116, encontramos o ateliê do artista gaúcho Flavio Scholles. Eu escrevi, no ano passado, uma postagem sobre a galeria-ateliê e recomendo muito a visita para conhecer as obras dele, além de apreciar a vista linda que se tem da serra gaúcha e de outras cidades.

 

Antiga Igreja Matriz de São Miguel – Dois Irmãos

Saímos da galeria de arte e fomos a Dois Irmãos. Tomamos um sorvete por lá e depois fomos conferir a antiga Igreja Matriz. Sua construção foi iniciada em 1868, com esforços de moradores e recursos da própria comunidade. Nela foram celebrados todos os festejos católicos do município. De estilo eclético, as janelas e vitrais foram inspiradas no gótico e os vitrais laterais do altar principal vieram da Alemanha. Em 1975, o padre quis derrubar a igreja e construir outra, em um estilo mais contemporâneo. A comunidade se mobilizou e impediu que isso acontecesse. Foi reconhecida de interesse público, de alto valor histórico e arquitetônico e, por isso, é patrimônio cultual do estado. Hoje é um espaço cultural e no dia em que fui estava acontecendo uma exposição de esculturas cerâmicas.

Quem diria que esta estética, da qual o padre queria deixar para traz e substituir por uma mais contemporânea, fosse valorizada nos dias de hoje.

 

Primavera na Praça do imigrante – Dois Irmãos

Na época da primavera, as árvores da Praça do Imigrante ficam cobertas por esta espécie de orquídea. Vale a pena conferir as flores e também as bancas de artesanato e produtos coloniais da praça.

 

Pôr do sol na estrada

Eu sempre tento ficar “presente” durante as viagens com o meu marido, em vez de dar atenção ao celular, por exemplo. Gostamos de conversar sobre o que vimos durante o passeio e planejar as próximas idas à serra. Estar de corpo e mente presentes durante a viagem é, também, uma oportunidade de contemplar os fenômenos externos, como o pôr do sol, que pode deixar rastros de cores incríveis, como este degradê de tons quentes.

 

Este foi mais um Bate-Volta Serra Gaúcha. Espero que tenham gostado das sugestões e até o próximo.

 

Fotos e texto: Juciéli Botton para Casa Baunilha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *