Pela web,  Vida e Carreira

Para ver e ouvir: atualidades e nutrição

Segue aqui mais uma seleção de conteúdos que vi durante a última semana: duas entrevistas que levantam questões sobre o nosso momento atual, pandêmico e de isolamento social, com Dado Schneider e Luiz Felipe Pondé, uma outra entrevista com a nutricionista Vera Lisboa, sobre saúde e bem estar, verdadeiros desafios em tempos como os de hoje, além de um programa semanal sobre cultura e arte que traz a entrevista com a filósofa Svenja Flabpöhle. São conteúdos que fazem a gente pensar e que, independente da opinião dos entrevistados, podem ser o combustível para construirmos nosso próprio entendimento, chegando às respostas que buscamos. Na verdade, essa é a proposta geral desse tipo de publicação que eu faço. Espero que gostem.

 

Dado Schneider

Entrevista com o sempre motivacional, doutor em Comunicação, publicitário e palestrante Dado Schneider. Segundo ele, o inventor do “novo a-normal”, quem tem certeza sobre o que vai acontecer com a sua vida e o seu negócio depois da pandemia está lendo pouco. A entrevista inicia no minuto 58:

 

Vera Lisboa

Podemos ficar muito passivos durante o isolamento social, sem exercitar o cérebro e a memória. Nesta entrevista a nutricionista Vera Lisboa indica quais são os alimentos que auxiliam a memória, entre outros esclarecimentos, incluindo a desconstrução de alguns mitos que as pessoas criam relacionados à alimentação. O chá torrado de saquinho pode ser considerado chá verde? Tomar uma térmica de chimarrão é o mesmo que tomar água? Quais as consequências do excesso de vitamina D?

 

Luiz Felipe Pondé

Na entrevista com o filósofo Luiz Felipe Pondé ele faz uma avaliação sobre a situação atual do país e do mundo.

 

Programa Camarote 21

Este programa semanal sobre cultura e arte traz uma entrevista, no segundo bloco, com a filósofa Svenja Flabpöhler sobre o momento atual. Ela fala da importância de lideranças fortes e esclarecidas, nas quais as pessoas confiem e que digam o que elas têm que fazer, uma vez que o povo está sobrecarregado. Ela também fala sobre a diferença entre culturas, como as que estocam papel higiênico e as que acumulam vinho tinto em casa. E se não poder cumprimentar uma pessoa é difícil para nós, isso é um bom sinal. A entrevista começa no minuto 12:16. Não é possível colar o vídeo aqui, então clique neste link para acessar o programa. Após a entrevista, há dicas culturais para curtir sem sair de casa. Estes são os links delas: clique aqui para ver as exposições por dentro do Museu Bode de Berlim; clique aqui para assistir a concertos da Filarmônica de Berlim.

Foto do chá: Reprodução/Freepik | Vídeos: Reprodução | Imagem com a frase: Reprodução/Programa 21 | Texto de minha autoria, Juciéli Botton, para a Casa Baunilha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *