Dois Irmãos,  Gramado,  Por aí,  Serra Gaúcha

Serra Gaúcha: nevoeiro nas estradas. Como lidar?

 

Você está subindo a serra gaúcha com o objetivo de conhecer Gramado, Canela e tudo que os altos campos de cima da serra têm a oferecer. Só que quando começa a subir mesmo, um nevoeiro, uma espécie de cerração, te impede de enxergar a um palmo diante do nariz. É o que acontece, e muito, na região, principalmente nesta época do ano.

Não bastasse o nevoeiro, as estradas que te levam morro acima são de mão dupla, com curvas sinuosas, estreitas, com trechos beirando os barrancos e tráfego até de carretas, sem mencionar os motoristas altamente confiantes, que descem lomba abaixo em velocidades inacreditáveis.

A melhor coisa que você pode fazer por você, pela sua família e pelas pessoas ao redor é dar um tempo. Volte uma casa no jogo da vida e você estará colocando a segurança para vencer. Mas nem por isso sua viagem ficará menos interessante. Aqui vão algumas opções do que fazer para não perder tempo e aproveitar do mesmo jeito o período da nuvem branca, com dicas em duas cidades: Ivoti e Dois Irmãos.

Geralmente, para quem sobe pela BR 116, a névoa começa a ficar mais densa na altura do município de Morro Reuter. Então, volte um pouco no mapa (ilustrado ao final do post).

 

> IVOTI

Não faltam espaços que tentam te conquistar, e conseguem com sucesso, nesta cidade que é pura história, também conhecida como a Cidade das Flores.

 

Faça um tour histórico guiado – na parte baixa da cidade

 

Gente, vale muito a pena, não demora nadinha e você ainda vai chegar em Gramado sabendo tudo: da arquitetura das casas alemãs ao modo de vida dos imigrantes. Vá até o Bairro Feitoria Nova e solicite uma visita guiada no setor de informações e turismo. Uma das grandes atrações é a ponte de pedra, feita pela comunidade com apenas encaixes, sem nenhuma “massa” ou cimento. Há também casas originais da época de 1800, em estilo enxaimel. Dá para entrar nas moradias e conferir todos os detalhes, dos móveis à louça. É lindo.

 

Passeie e tome um café – na parte alta da cidade

 

Igreja Matriz: Conheça a antiga Igreja Matriz e todas as suas rugas e artroses, pois ela nasceu na época de 1800, apenas. Está em fase de angariar fundos para seu restauro. Ouvir o eco do canto dos pássaros que moram lá é demais. Nesta área da igreja se tem uma vista privilegiada da serra. Rua Tuiuti, 106-204, Centro

Mirante: Além da vista sensacional do alto da igreja, ainda há o Mirante, com aquele instrumento que te dá uma visão de lince sobre a parte baixa da cidade e as montanhas. Aproveite para conferir o status do nevoeiro. E quem é fitness e não fica um dia sequer sem um cardio sagrado, tem uma escadaria com muitíssimos degraus (176) que foi feita nos anos 80 para ligar a parte baixa da cidade à alta. Te desafio… valendo! Avenida Pres. Lucena, 2, Centro.

Praça assinada: Atenção arquitetos, designers e amantes da arte: Ivoti tem uma praça desenhada por ninguém mais, ninguém menos do que Burle Marx. É pequena e transborda o traço de um dos paisagistas mais famosos de todos os tempos. Não deixe de conferir. Praça Neldo Holler, Avenida Pres. Lucena, sem número.

Café: Tome um chá ou café na padaria e confeitaria Doce Sabor. Tem um buffet de salgados e doces mas eu prefiro escolher o que eu quero comer, pesar, ou escolher algo do balcão da padaria mesmo, e saborear com um chá. O buffet custa R$ 29,90 (um dos motivos que fazem eu preferir pesar). Também servem sopas. Avenida Pres. Lucena, 1983, Harmonia.

 

Buffet de doces e salgados na padaria e confeitaria Doce Sabor.

 

> DOIS IRMÃOS

Se você estiver na estrada em um dia de semana, nesta época gelada do ano, pode ser que não encontre muito movimento em cidades menores como Ivoti. Por isso, Dois Irmãos é uma ótima opção para almoçar, ver gente, se esquentar com o calor humano e as panelas fumegantes de um bom restaurante.

 

Almoce na Confraria Chopp e Grill – Avenida São Miguel, 930, Centro

Fui tão bem atendida neste estabelecimento que vou sugerir o almoço, o happy hour e a noite (se for o seu caso), tudo, neste lugar. No almoço servem buffet livre a R$ 19,90 com opção de pesar o prato também.

 

 

 

Comida com preço mais do que honesto. Pela foto do meu prato dá pra ver que tinha massa ao pesto, bolinho de espinafre, salada, aipim frito, carne de porco assada, e a coisa que eu mais adoro no mundo (uma das) que é a moranga caramelizada. Há outras opções de carnes, saladas e o tradicional feijão com arroz. Quando eu fui tinha também todos os itens para montar uma feijoada completa, com fatia de laranja, couve e farofa. Tem grande variedade de sabores e combinações de sucos naturais. Eu recomendo muito o de laranja com morango.

 

O restaurante funciona num casarão antigo, de estilo enxaimel, típico alemão – dá pra ver as estruturas de madeira atravessando as paredes. A Daniela, do caixa, viu que eu tirava fotos da arquitetura e fez questão que eu conhecesse o porão, onde funciona o pub:

 

Às sextas, show com banda sertaneja. Aos sábados, show de rock. Seis opções de chopes nas torneiras. Alguns feitos na região. E a moça sentada ao fundo, na fotografia, estará te observando onde quer que você esteja posicionado no espaço do pub. É o que dizem.

 

Aqui, eu deixo um mapa que ilustrei para vocês visualizarem melhor a localização das cidades de Ivoti e Dois Irmãos, que ficam no começo da subida para a serra via RS 116 e que, por isso, podem ser um ponto de parada caso o nevoeiro se intensifique.

 

 

Eu resolvi fazer esta postagem porque foi exatamente esta a situação que enfrentei na última sexta-feira. Queria ir até Gramado e, na altura da cidade de Morro Reuter, nos deparamos com isto:

 

 

Já não enxergávamos mais nada à frente pois o nevoeiro era muito intenso. E mesmo conhecendo a estrada, o instinto de sobrevivência falou mais alto e, sabiamente, voltamos um pouco no mapa. E não nos arrependemos em nada. Aproveitamos da mesma forma, conhecemos uma porção de lugares e pessoas.

E isso vale não somente para os turistas mas também e, talvez, principalmente, para quem está acostumado a passear pela serra gaúcha e acaba sempre optando pelo eixo Gramado-Canela. Há muito mais para explorararmos e, felizmente, com preços mais acessíveis e com menos muvuca.

 

Fotos, capa gráfica, mapa ilustrado e texto: Juciéli Botton para Casa Baunilha

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *