Por aí,  Porto Alegre,  Rio Grande do Sul

Porto Alegre: 247 anos

A capital dos gaúchos, a minha cidade do coração, completa 247 anos hoje. Aproveitei os festejos e fui ali no menu do blog, na categoria Por Aí, e cliquei em Porto Alegre, of course, para recordar o que eu já tinha escrito sobre ela. Rolar a barra para baixo foi como ver passar aquele filme da vida. Muitas homenagens, recordações, indicações de endereços legais, reverências a espaços simbólicos da capital e, também, algumas críticas a quem não trata muito bem a menina moça dos pampas. Porque se tem algo que acho que nós podemos fazer, enquanto viventes em uma cidade, seja qual for, é olhar para ela com olhos críticos, para elogiar e prestigiar o que está muito bom obrigado e, também, para nos indignarmos e tornarmos urgente alguma mudança. Não esquecendo que nós também fazemos parte do fazer a mudança.

Tão bonito ver a própria comunidade se organizando e colocando a mão na massa para revitalizar a escadaria General João Manoel, por exemplo, no Centro. Não só revitalizando como, também, tornando possível que pessoas passem por ali. É incrível o poder que esse tipo de iniciativa tem porque o fato não é que há policiamento por lá, garantindo a segurança. Na verdade, não há ninguém lá. A escadaria apenas foi limpa, restaurada e pintada, colorida, na verdade, o que a torna um lugar favorável à passagem de pessoas. Com o movimento, pessoas atraem mais pessoas e, assim, a sensação de segurança é transmitida à população que precisa transitar por ali. Isso é transformador. Outro exemplo é o investimento de alguns empresários e chefs que decidiram abrir seu negócio na Escadaria da Borges, por onde não temos mais medo de passar, muito menos de estar. As próprias feiras, de produtos orgânicos e de artesanato, espalhadas pela capital em lugares que há muito não sabiam do que se tratava a presença humana, tornam esses espaços aprazíveis. Eu adoro isso, pois só comprova que a cidade está sempre pronta para ser parceira, de forma bonita, útil e segura. A cidade não tem culpa de nada. Nós é que precisamos nos organizar, tomar para si a responsabilidade, não somente da cidade mas, também, do nosso próprio crescimento que, dessa forma, a cidade cresce junto. Em beleza, em movimento, em convívio, em oportunidade, em segurança, em prosperidade.

Então, retomando, vou listar as postagens que fiz sobre Porto Alegre aqui na Casa Baunilha, em ordem cronológica, isto é, da mais antiga para a mais recente. Clique nos títulos par acessar as publicações.

 

A maior feira a céu aberto da América Latina – será que ainda é? não tenho essa informação – rendeu dois posts em 2016: o Feira do Livro de Porto Alegre | Sobre o livro ser eterno, Netflix e outras conclusões e o Feira do Livro de Porto Alegre | Muito além dos livros.

 

Quando a cidade fez 245 anos, visitei o Museu de Porto Alegre, na Cidade Baixa, e contei tudo que vi e com o que me surpreendi no texto: Porto Alegre: vida e obras.

 

Que experiência boa o passeio de Catamarã, do Cais Mauá até a orla da cidade de Guaíba. Contei sobre a experiência, e como é ver Porto Alegre do outro lado do rio, na postagem Porto Alegre náutica: o passeio de Catamarã e a orla de Guaíba | Parte 1 e na Porto Alegre náutica: o passeio de Catamarã e a orla de Guaíba | Parte 2.

 

O pôr do sol mais-mais merecia registros poéticos, num lugar também poético, que o diga nosso Mário Quintana. Confira alguns cliques do pôr do sol no Guaíba, feitos na Casa de Cultura Mário Quintana, no post Pôr do sol no Mario Quintana: uma poesia visual.

 

Isto é apenas o adorno de um braço de poltrona. A Biblioteca Pública de Porto Alegre é assim, cheia dos detalhes maravilhosos. Confira mais belezas, além da história desse lugar emblemático, no post O décor histórico da Biblioteca Pública de Porto Alegre.

 

Adoro fotografia e arquitetura. Não deu outra: uma postagem com cliques sobre a Fundação Iberê Camargo, marco arquitetônico de Porto Alegre. No post Meu Iberê.

 

Será que sai a sua obra de revitalização? Será que não? Antes que acontecesse qualquer coisa, ou não, fiz alguns registros do Cais Mauá na autenticidade que ainda lhe resta. Em O velho cais de Porto Alegre.

 

Vai ficar pouco tempo na capital gaúcha? Não deixe de conferir o que fazer e onde em apenas 24 horas, no post Guia 24 horas em: Porto Alegre.

 

Demorou décadas para o início das obras de revitalização da orla e mais alguns infindáveis anos para a entrega efetiva do espaço à população. Neste post, mostro a orla “meio feita”, com a área ao redor da Usina do Gasômetro entregue mas com o restante ainda por fazer. Sendo que a Usina mesmo estava – assim como ainda está – fechada, sem nada acontecendo por lá. Aquela visão crítica que não pode faltar da nossa própria cidade, em Revitalização da Orla do Guaíba | Usina do Gasômetro.

 

Eu amo tanto o Centro de Porto Alegre que fiz um guia prático dele com os lugares que costumo frequentar, com ilustração e tudo! O post Centro de Porto Alegre | Guia prático é o meu xodó no blog.

 

Depois de ver a recém inaugurada e tão sonhada Orla do Guaíba coberta por toneladas de lixo, após o ano novo, não pude deixar de questionar: Por que ainda jogamos lixo no chão?

 

Criei vergonha na cara e homenageei o mercado público mais incrível que eu já vi, na postagem O Mercado Público de Porto Alegre.

 

Estes foram os posts sobre Porto Alegre publicados no blog até hoje. São muito poucos perto da volumosa pauta que a capital dos gaúchos proporciona. Mas a boa notícia é que outros já estão encaminhados e muitos mais estão por vir.

 

Porto Alegre será, pra sempre, demais. #portoalegreédemais

 

Fotos, ilustração e texto: Juciéli Botton para Casa Baunilha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *